David Fincher é um cineasta espetacular. Esta é a conclusão a que chegamos depois de assistir cada um de seus filmes, desde Seven - Os Sete Crimes Capitais, passando por Clube da Luta (fundamental!) até Millenium - Os Homens que Não Amavam as Mulheres.
Em Garota Exemplar (Gone Girl, EUA, 2014), o diretor não realiza nada menos do que o melhor suspense do ano, adaptação do romance homônimo de Gillian Flynn. O filme conta a história de Nick Dunne (Ben Affleck), um escritor fracassado que se mudou com sua esposa Amy (Rosamund Pike) de Nova York para sua cidade natal, um lugar pacato, localizado à beira do rio Mississipi, e vive uma crise em seu casamento. No dia em que completaria cinco anos de casado, sua esposa Amy desaparece, deixando em casa o que parecem vestígios de luta. A partir deste acontecimento, Nick se envolve em uma verdadeira montanha-russa emocional, ainda mais quando o sumiço da esposa se torna um espetáculo midiático no qual ele se torna o principal suspeito de ter assassinado Amy e dado um fim no corpo. Tal suspeita acaba se transferindo para o espectador, que começa a duvidar da inocência do marido, que também colabora para isso. O Nick interpretado por Ben Affleck é inepto e tem um comportamento estranho em relação aos acontecimentos, a ponto de sorrir para tirar uma selfie com uma das voluntárias na busca pela esposa. Mas uma reviravolta na trama nos faz mergulhar em uma mente doentia e perturbada, de alguém obcecado por controle, como em um looping de montanha-russa.
O elenco, quase inteiramente desconhecido - a exceção é Ben Affleck - realiza muito bem sua tarefa, especialmente Rosamund Pike. Sua Amy Dunne é enigmática e a atriz incorpora muito bem o papel de esposa sofredora, capaz de tudo para estar no comando de seu destino.
No domínio pleno da arte de contar histórias, David Fincher tem no roteiro - escrito pela autora do livro - seu maior trunfo. A narrativa que vai e vem no tempo não confunde, ao mesmo tempo em que não oferece soluções simplistas para os problemas que vão surgindo no caminho, de tal forma que a descoberta do caráter verdadeiro de alguns personagens modifica seriamente a perspectiva que temos deles. A cena que abre e encerra o filme é especialmente simbólica, pois nas duas vezes que a vemos, temos uma percepção completamente diferente; é a mesma cena, com o mesmo texto, mas os personagens estão inteiramente diferentes, pelo menos aos olhos do espectador, isso porque no final já conhecemos a dura verdade de cada um.

Garota Exemplar (2014) on IMDb

Pelo primeiro trailer já podemos ver que vem coisa magnífica por aí. Estamos falando de Le Petit Prince (O Pequeno Príncipe), a animação que adapta, mais uma vez, o extraordinário livro de Antoine de Saint-Exupéry.

Pela prévia é possível observar que várias técnicas de animação foram utilizadas. Veja:



O filme é dirigido por Mark Osborne (Kung Fu Panda), e tem entre seus dubladores Jeff Bridges, James Franco, Paul Giamatti, Rachel McAdams e Marion Cotillard, isso na versão em inglês.

Pelo que podemos ver do trailer, a animação falará da relação de uma garotinha com a obra, que já foi traduzida para dezenas de línguas e é adorada há várias gerações, tendo ganhado uma adaptação para o cinema em 1974, dirigida por Stanley Donen e estrelada por Gene Wilder.

A estreia de Le Petit Prince está marcada para outubro de 2015.